No Outubro Rosa, mês de conscientização sobre o diagnóstico precoce do câncer de mama, o ObservaPICS convida você a assistir ao documentário Reinventando a vida, que aborda a experiência de mulheres que enfrentaram esse tipo de câncer tendo como suporte complementar sessões de acupuntura. A produção integra a pesquisa A acupuntura no cuidado de câncer de mama em Vitória (ES), desenvolvida pela médica Ana Rita Vieira de Moraes.  

 “O câncer de mama representa a primeira causa de mortalidade por neoplasia entre as mulheres brasileiras. Os quadros de ansiedade e estresse podem estar presentes antes do diagnóstico, durante e após o tratamento. Conhecer na literatura informações sobre a aplicação da acupuntura e avaliar seus efeitos nos níveis de ansiedade e no estresse de mulheres com câncer de mama foram objetivos da pesquisa que desenvolvi para a tese de doutorado em saúde coletiva”, explica Ana Rita Vieira de Moraes, médica acupunturista e homeopata. Ela produziu o vídeo durante o estudo, assim como um livro em quadrinhos. “Autoconhecimento e autocuidado são fundamentais no processo de restabelecimento e cura. O tratamento com acupuntura contribui para esse olhar e amplia a visão de saúde”, afirma.

Ana Rita realizou um ensaio clínico aleatorizado, composto por 46 mulheres com câncer de mama, 22 do grupo experimental e 24 do grupo controle. Segundo ela, após seis sessões de acupuntura, a média do estado de ansiedade do grupo experimental reduziu de forma significante, enquanto no grupo controle houve aumento dos sintomas. “Evidenciou-se que a intervenção com acupuntura foi eficaz para o tratamento da ansiedade e estresse em mulheres com diagnóstico de câncer de mama. Recomenda-se a incorporação em serviços de oncologia e no pré-operatório, proporcionando cuidado integral e humanizado”.

O documentário foi gravado em 2017, durante o doutorado na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). As mulheres que participaram da gravação assinaram termo de consentimento para a pesquisa e o uso de imagem. A produção tem financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Espírito Santo (Fapes). O vídeo foi apresentado em diferentes eventos no Brasil, Estados Unidos e na Itália. E foi cedido por Ana Rita Novaes para veiculação em nosso canal no Youtube.

Auriculoterapia alivia dores e melhora mobilidade de incapacitados por chikungunya