Escolha uma Página

Uma live no Canal da Fiocruz Pernambuco no Youtube, às 15h desta quinta-feira (23/07), marcará o lançamento da versão digital do livro Pohã Ñana: nãnombarete, tekoha, guarani ha kaiowá arandu rehegua, ou Plantas medicinais: fortalecimento, território e memória guarani e kaiowá. A publicação, com 350 páginas, foi construída numa parceria de pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz, estudiosos de outras instituições e de um grupo de jovens indígenas da comunidade.

Coordenado pela pesquisadora Islândia Carvalho (ObservaPICS) e mediado pelo médico Paulo Basta, que coordena o Grupo de Pesquisa Ambiente, Diversidade e Saúde na Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca (Ensp), no Rio de Janeiro, o encontro virtual contará com a antropóloga kaiowá Lúcia Pereira, vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Antropologia Sociocultural da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), a historiadora Aparecida Benites, professora das redes estadual e municipal na Aldeia Amambai, o líder indígena kaiowá Tonico Benites, doutor em antropologia e pesquisador visitante da Universidade Federal de Roraima (UFRR), além do antropólogo Fábio Mura, professor associado da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e do procurador da República no Mato Grosso do Sul Marco Antônio Delfino de Almeida, doutorando em história indígena. Durante a programação serão apresentados cantos tradicionais de cura da ñandesy (rezadora) kaiowá Orida Vilhava.

O livro registra o conhecimento repassado entre sucessivas gerações de habitantes de seis localidades do território Guarani-Kaiowá, no Cone Sul do Mato Grosso do Sul (Centro Oeste), sobre práticas tradicionais de cura e outros saberes. Reúne texto e fotografias, produzidos num diálogo entre os pesquisadores e moradores das aldeias Guapo’y (Amambai), Jaguapiré, Guasuty, Kurusu Amba, Tapyi Kora (Limão Verde) e Takuapery.

Ao todo são dez autores, com a produção organizada por Basta, Islândia, Aparecida Benites (Kuñatãi mbo`y arandu) e Ananda Meinberg Bevacqua (Kunãtai tucamby).Editado pela Fiocruz Pernambuco, é acessado gratuitamente pelo site do ObservaPICS e no Portal da Biblioteca Virtual em Saúde. Poderá ser encontrado em breve nas livrarias também. Resulta da pesquisa Práticas tradicionais de cura e plantas medicinais mais prevalentes entre os indígenas da etnia Guarani-Kaiowá, desenvolvida nos últimos seis anos e coordenada por Basta e Islândia.

Livro digital registra memória dos saberes tradicionais em território Guarani-Kaiowá

Memória indígena sobre plantas medicinais