Escolha uma Página

Profissionais de saúde e outros voluntários se uniram numa ação colaborativa para apoiar enfermeiros, técnicos e auxiliares da área que estão atuando na pandemia de Covid-19 em Pernambuco. Eles criaram a Rede Cuidar Enfermagem, com a proposta de articular ajuda e oferecer gratuitamente, à distância, escuta psicológica e orientação para práticas integrativas e complementares em saúde que auxiliem os trabalhadores a diminuir o estresse e a vencer os múltiplos desafios que têm causado sofrimento físico, mental e emocional.

Além da assistência à saúde dos profissionais de enfermagem, a rede está abrindo um fórum de discussão e divulgando informações para atualização sobre manejo clínico, proteção individual e normas sanitárias relacionadas ao novo coronavírus.

Escuta psicológica gratuita e assistência em PICS

Para se comunicar com os profissionais que necessitam de apoio, a Rede Cuidar Enfermagem criou um site. A partir do acesso a esse canal, o trabalhador poderá se cadastrar para atendimento psicológico e obter assistência de outras terapias. Um plantão de psicologia funcionará de domingo a domingo, das 8h às 19h,  com profissionais se revezando. Pelo menos 25 já estão apoiando o trabalho, entre eles psicólogos e  terapeutas florais.

A Rede Cuidar Enfermagem reúne representantes dos Conselhos Regional (Coren-PE) e Federal de Enfermagem (Cofen), da Faculdade de Enfermagem Nossa Senhora das Graças da Universidade de Pernambuco (UPE), do Departamento de Enfermagem e de Saúde Coletiva do Centro Acadêmico de Vitória da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), do Hospital Maria Lucinda, da Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco, da Universidade do Vale São Francisco (Univasf) e da Fiocruz Pernambuco.

“Estamos auxiliando a rede na oferta de informação e comunicação com o público e, ao mesmo tempo, na busca de voluntários que possam dar assistência aos profissionais de enfermagem”, explica a pesquisadora da Fiocruz Pernambuco Islândia Carvalho, coordenadora do ObservaPICS.

Em Pernambuco existem cerca de 90 mil profissionais de enfermagem com registro no conselho profissional. A atuação numa pandemia significa risco de exposição, medo de transmissão da doença aos familiares, de adoecimento e morte, além da sobrecarga de trabalho. No caso da Covid-19, doença para qual não existe vacina nem antiviral específico, ainda há outras complicações, como a falta de EPIs no mercado internacional e local.  Daí a necessidade urgente de criar redes de apoio e articular diferentes formas de ajuda a profissionais de saúde.