Escolha uma Página

A relação de sete etnias indígenas de diferentes regiões do Brasil com as plantas medicinais e como fazem uso delas para promover saúde e tratar doenças estão descritas no livro Jardins da História: Medicinas Indígenas. A obra, uma parceria com o Observatório Nacional de Saberes e Práticas Tradicionais, Integrativas e Complementares (ObservaPICS), escrito em português e francês, será lançado em live na próxima terça-feira (05/07), às 15h. A transmissão será pelo Youtube, no canal ObservaPICS.

Participam do lançamento as autoras, Adriana Strappazzon, antropóloga e médica, e Renata Palandri Sigolo, historiadora e professora da Universidade de Santa Catarina (UFSC), e os convidados a debaterem com elas: o professor da UFSC Sandor Bringmann e a indígena e doutoranda em clínica médica pela Universidade Estadual de Campinas Kellen Guarani Kaiowá.

Jardins da História: Medicinas Indígenas é fruto de um projeto de extensão de mesmo nome, conduzido pelas autoras entre 2017 e 2019. Em oficinas realizadas no Horto Didático de Plantas Medicinais do Hospital Universitário da Federal de Santa Catarina e no Jardim Botânico de Florianópolis, com grupos formados por estudantes da universidade e pessoas externas à instituição, elas conduziam uma busca às plantas medicinais. Após os participantes divididos em subgrupo localizarem as plantas, munidos de cartões com seus desenhos, informações de uso segundo a etnia e dos nomes científico e indígenas (nos casos em que foram identificados), Adriana e Renata partilhavam conhecimentos sobre a relação da planta com os saberes da etnia a ela relacionada e debatiam aspectos indígenas e não indígenas com o grupo.

“O momento em que nos encontrávamos à volta de uma planta medicinal também era a ocasião para a troca de saberes. Convidávamos a todos para avaliar a experiência por escrito e pelos testemunhos orais. Percebíamos que a imagem do “índio genérico” aprendida na escola e por meio da mídia se desvanecia para dar lugar ao encantamento em descobrir que há centenas de etnias indígenas no Brasil e que nosso encontro só convidava a descobrir um pouquinho de sete delas (Ka’apor, Huni kuin, Wajãpi, Yanomami, Baniwa, Guarani e Kaingang)”, citam as autoras num dos trechos do livro.

De acordo com Renata Palandri Sigolo, estão no livro, escrito no formato de contação de história, informações sobre as plantas medicinais para as quais foram encontrados dados em pesquisa bibliográfica.

A obra estará disponível para download no dia da live, aqui no site do ObservaPICS e poderá ser acessado gratuitamente, seguindo a política de acesso aberto da Fiocruz, instituição da qual o Observatório faz parte. Esta é a sexta publicação lançada pelo Observatório em parceria.

Download

https://doi.org/10.35078/7XB1IK