Escolha uma Página

O Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) do Sobrepeso e Obesidade em Adultos, do Ministério da Saúde, versão 2020, incorporou contribuições da Coordenação Nacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (CNPIC), após consulta pública. O documento afirma que “no tratamento de usuários com obesidade, fortalecer a percepção para o autocuidado é etapa imprescindível para adesão a um estilo e prática de vida mais saudável”.

Considera, então, que, no complemento ao tratamento multidisciplinar,  “as PICS são importantes aliadas, contribuindo para a promoção, prevenção e reabilitação da saúde e manejo clínico da obesidade, potencializando o projeto terapêutico singular por meio de seus benefícios”.

São citadas evidências científicas demonstrando que algumas práticas, como a yoga, a  auriculoterapia e  o tai chi chuan demonstram ser eficazes no tratamento de indivíduos adultos com sobrepeso e obesidade, reduzindo o Índice de Massa Corporal e o peso do corpo.

“A yoga e o tai chi chuan mostram efeito positivo para redução do peso e IMC após um ano de realização da prática regularmente. O uso da auriculoterapia também auxilia na redução do peso e do IMC. Para potencializar/maximizar este efeito, recomenda-se o tratamento de 12 semanas. Além disso, estudos apontam benefícios dessas práticas para redução do estresse, melhora do humor, depressão, ansiedade, insônia, melhora da qualidade de vida e bem-estar físico, que indiretamente contribuem e apoiam o indivíduo com obesidade na adesão ao tratamento”, cita o protocolo.

 NA ATENÇÃO PRIMÁRIA

De acordo com o documento, “sempre que disponíveis nos serviços de saúde, as PICS devem compor o rol de ações e intervenções voltadas ao cuidado de indivíduos com sobrepeso e obesidade na Atenção Primária em Saúde (APS), complementando o tratamento da equipe multiprofissional”.

As práticas, instituídas a partir de 2006 no SUS,  estão, conforme o protocolo, “contempladas no rol de procedimentos da Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses, Próteses e Materiais Especiais do SUS (SIGTAP)”. Para o coordenador nacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde, Daniel Amado, a inclusão das PICS no protocolo representa a importância do cuidado integral em todas as etapas de prevenção e tratamento das condições crônicas de adoecimento.

Acesse a  versão do PCDT Sobrepeso e Obesidade em Adultos, atualizada pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde. O trecho correspondente às PICS está no item 8.2.4.