Escolha uma Página

A pesquisa  Uso de Práticas Integrativas e Complementares no contexto da Covid-19 (PICCovid), iniciada no dia 25 de agosto, ouviu até o último dia 18 de dezembro um total de 12.531 brasileiros. Com a escuta encerrada, terá início agora a pós-estratificação do banco e análise dos dados coletados, explica o coordenador do estudo, Cristiano Siqueira Boccolini, pesquisador em saúde pública do Laboratório de Informação em Saúde (LIS) do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict) da Fiocruz.

Considerada o maior estudo sobre práticas integrativas realizado no Brasil, a pesquisa ouviu maiores de 18 anos por meio de um questionário on-line,  perguntando sobre mudanças na rotina e uso de práticas como yoga, meditação, plantas medicinais e outras durante a pandemia. Espera-se  que a investigação contribua no fortalecimento da rede de pesquisa multidisciplinar sobre PICS, trazendo à luz evidências sobre padrões de utilização das diferentes práticas. Dessa forma, os pesquisadores acreditam que os resultados contribuam para a avaliação e qualificação da política pública de saúde.

Coordenada pelo Icict, a pesquisa tem a parceria do ObservaPICS e da Faculdade de Medicina de Petrópolis (FMP/Unifase).

Estudo da Fiocruz investiga como pandemia afetou rotina e qual tem sido o papel das PICS

Pesquisa sobre uso de práticas integrativas durante pandemia de Covid-19 tem prazo ampliado