Escolha uma Página

A pandemia de Covid-19 afetou sua rotina de trabalho, aumentou ou reduziu a renda da família, interferiu na sua saúde, alterou seu sono? Você teve algum sintoma da nova doença ou percebeu-se mais ansioso? Recorreu à  homeopatia, meditação, yoga ou a outra prática integrativa e complementar de saúde por algum motivo? Essas e outras indagações são feitas por uma pesquisa nacional coordenada pelo Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict), da Fundação Oswaldo Cruz. Destinada à população em geral, em todo território brasileiro, pretende avaliar o uso das práticas integrativas (PICS) durante o isolamento social. O questionário on-line pode ser acessado por computador, tablet ou celular.

Recursos preventivos e terapêuticos, acupuntura, meditação, yoga, homeopatia, musicoterapia, plantas medicinais, reiki, entre outras, auxiliam, no SUS, na promoção da saúde, associadas a tratamentos convencionais. Na rede pública, o uso é orientado geralmente para situações de estresse, para restabelecer o bem-estar físico e emocional, e não em substituição aos protocolos definidos pela comunidade cientifica para tratamento da Covid-19. Desde o início da pandemia, em março, tem havido relatos sobre utilização das práticas integrativas como suporte à qualidade de vida, forma de autocuidado para equilíbrio mental e emocional.

“Queremos identificar como tem sido o uso dessas terapias diante de sintomas da Covid-19, ou se a utilização está associada ao tratamento de doença crônica, ou como forma de autocuidado. As PICS têm ótimos resultados na saúde mental, para sintomas como ansiedade, insônia e estresse intenso, bastante comuns durante o isolamento”, descreve Cristiano Siqueira Boccolini, pesquisador em saúde pública do Laboratório de Informação em Saúde (LIS/Icict), responsável pelo desenvolvimento da pesquisa em parceria com a pesquisadora Patrícia de Moraes Mello Boccolini, professora da Faculdade de Medicina de Petrópolis (FMP/Unifase). O trabalho conta com a  colaboração de Cristina Rabelais, também pesquisadora do LIS/Icict, e tem o apoio do Observatório Nacional de Saberes e Práticas Tradicionais, Integrativas e Complementares em Saúde (ObservaPICS/Fiocruz).

Com escuta por questionário on-line, o estudo Uso de Práticas Integrativas e Complementares no contexto da Covid-19 (PICCovid) começou no dia 25 de agosto e prossegue. É considerado o mais amplo já realizado no Brasil com a temática. Os pesquisadores esperam que os resultados da investigação contribuam para fortalecer a rede de pesquisa multidisciplinar para estudo e uso das PICS, trazendo à luz evidências sobre padrões de utilização de determinadas práticas.  No país, há 29 práticas reconhecidas no SUS.

Para saber mais, acesse:

 Entrevista: pesquisadores apresentam estudo sobre uso de práticas integrativas e complementares durante a pandemia

 Canal do ObservaPICS no Youtube