Uma live com a socióloga Madel Luz, professora aposentada das universidades federal e estadual do Rio de Janeiro (UFRJ/UERJ), e convidados marcará o fechamento da primeira temporada do PodPICS. O podcast sobre ciência e saúde integrativa estreou na segunda quinzena de julho e é produzido pelo Observatório Nacional de Saberes e Práticas Tradicionais, Integrativas e Complementares em Saúde (ObservaPICS). O diálogo será sobre o tema Prática, Política e Ciência. Os outros participantes são o professor Nelson Filice, coordenador do Laboratório de Práticas Alternativas, Complementares e Integrativas em Saúde (Lapacis) da Unicamp; a médica homeopata Henriqueta Sacramento, referência técnica em PICS na Secretaria Municipal de Saúde de Vitória (ES) e o coordenador nacional das práticas integrativas e complementares em saúde do Ministério da Saúde (CNPICS/MS), Daniel Amado. A  live estava programada para o dia 26 de agosto pelo canal do Observatório no Youtube, mas foi adiada. Em breve a nova data será divulgada.

No bate-papo serão abordadas questões tratadas nos quatro episódios do programa: pensar o que são as práticas que não se enquadram como racionalidades médicas; como a ciência pode dialogar com as diferentes formas de conhecimento; e a contribuição dos estudos teóricos para a construção da política de PICS, entre outras. A mediadora será a coordenadora executiva do Observatório, a pesquisadora da Fiocruz Pernambuco Islândia Carvalho.

O objetivo do PodPICS é estimular discussões e reflexões sobre temas relacionados à ciência e à saúde integrativa, entre pesquisadores e gestores das PICS, no Brasil, usando um formato de divulgação (podcast) que possa ser acessado em qualquer lugar e a qualquer hora. Nessa primeira temporada, todos os debates foram guiados por textos escritos por Madel Luz para esse projeto.

Para ouvir os cinco programas – o último episódio foi dividido em duas partes – e ler os textos de Madel, acesse o site do ObservaPICS: www.observapics.fiocruz.br. Os áudios também podem ser acessados na plataforma SoundCloud.

Debate sobre racionalidades médicas tem continuidade