Escolha uma Página

Informações sobre medicinas tradicionais e Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS) estão presentes em sites institucionais de pelo menos dez de 36 países do Continente Americano. Esse é um dos dados preliminares obtidos em pesquisa que estuda a implantação e integração das PICS nos sistemas de saúde da região, iniciada em 2021 pela Organização Pan-Americana de Saúde (Opas/OMS) em parceria com o ObservaPICS/Fiocruz, a Rede MTCI Américas e o Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde (Bireme/BVS). Os países com informações já detectadas em sites institucionais, entre eles o Brasil, estão destacados no mapa acima.

“Levantamos inicialmente informações sobre medicinas tradicionais e práticas integrativas nos sites institucionais de cada país. Em pelo menos dez deles encontramos dados sobre um ou acerca dos dois temas”, adianta a coordenadora do ObservaPICS/Fiocruz, Islândia Carvalho. Segundo ela, além da busca desses dados, o projeto envolve análise de documentos e entrevistas para traçar um panorama das políticas vigentes, de como estão sendo aplicadas e das características dos povos atendidos, incluindo a presença de comunidades tradicionais, como povos indígenas. A expectativa é que os primeiros resultados sejam divulgados ainda em 2022.

TECNOGRAFIA DO CUIDADO

Os dados vão caracterizar o conjunto e cada país individualmente, possibilitando estudos regionalizados. Segundo a Opas, a integração das MTCI nos sistemas de saúde faz parte da Estratégia sobre as Medicinas Tradicionais da OMS. O consultor técnico para Doenças Crônicas Não Transmissíveis na Opas, Rafael Dall Alba, destaca que o projeto “parte de um resgate metodológico dos mapeamentos já realizados no tema e adiciona a tecnografia do cuidado, ampliando o universo de análise para além da descrição do cenário”.

Rafael Dall’ Alba/ Divulgação

O estudo possibilita assim, segundo Dall Alba, “instrumentalizar questões sensíveis como as medicinas tradicionais e práticas ainda não institucionalizadas, porém socialmente praticadas”. Conforme o consultor, “é uma estratégia de fortalecimento da política das MTCI no Brasil e nas Américas através da parceria entre o ObservaPICS/Fiocruz e a Opas/OMS”.

Daniel Gallego/ObservaPICS

Daniel Gallego/ObservaPICS

“Precisamos monitorar como os países estão trabalhando para aproveitar as vantagens dos benefícios potenciais que a integração de práticas de saúde tradicionais e complementares pode trazer para o bem-estar de nossas comunidades”, afirma o pesquisador colombiano Daniel Gallego, membro da Rede MTCI Américas, em texto publicado no Boletim Evidências 9 do ObservaPICS. Segundo ele, “as estruturas existentes, como a Estratégia de Medicina Tradicional da OMS e a Política de Etnicidade e Saúde e Estratégia de Saúde Universal da Opas, entre outras, poderiam apoiar esses esforços ao fornecer as salvaguardas necessárias”.