Nesta terça-feira (18/08), às 16h, painel da Ágora Abrasco discute as contribuições das práticas integrativas e complementares em saúde  em tempos de pandemia do novo coronavírus. Participam do evento virtual o professor aposentado da Universidade Federal do Ceará (UFC)  psiquiatra Adalberto Barreto, criador da Terapia Comunitária Integrativa (TCI),  a professora da Escola de Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Daniela Dallegrave,  o presidente do Consórcio Acadêmico Brasileiro de Saúde Integrativa,  médico e professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) Ricardo Ghelman, e o presidente do Conselho Nacional de Saúde (CNS), Fernando Pigatto.

“Este encontro, no Canal da TV Abrasco, no Youtube, propõe reflexão e debate sobre as PICS neste contexto da Covid-19, um tempo marcado por ansiedade, perdas afetivas, medo de adoecer e morrer, de insegurança. Temos observado, em diferentes regiões do Brasil, que as práticas integrativas e complementares em saúde (como a ioga, a TCI, a aromaterapia e a meditação) têm sido aliadas importantes no cuidado à saúde emocional e mental das pessoas. Não se trata de uma discussão sobre tratamento do coronavírus por práticas integrativas”, explica Marilene Nascimento, professora da Universidade Federal Fluminense (UFF) e coordenadora do Grupo Temático da Associação Brasileira de Saúde Coletiva voltado às Racionalidades e PICS.

Segundo a pesquisadora, que vai coordenar o painel nesta terça, as experiências brasileiras a serem discutidas vão desde a atuação de profissionais de saúde habilitados em PICS na atenção primária, por meio de telecuidado, junto a famílias em luto ou em vulnerabilidade, ao apoio remoto a colegas de trabalho que estão na linha de frente do atendimento às pessoas infectadas por Covid-19.

O psiquiatra Adalberto Barreto, por exemplo, deve expor as rodas virtuais de Terapia Comunitária Integrativa no Brasil e em outros países, enquanto a professora Daniella Dallegrave, membro do GT RM e PICS da Abrasco e coordenadora da Rede Colaborativa PICS, falará das redes de apoio às equipes de saúde no Rio Grande do Sul, na cidade de São Paulo e em Pernambuco, a exemplo da Rede Cuidar Enfermagem, uma ação colaborativa integrada pelo ObservaPICS e por representantes de universidades e outras instituições que oferece à distância, em Pernambuco, escuta psicológica e assistência em PICS aos trabalhadores da saúde. Ricardo Ghelman vai abordar mapas de evidências em práticas integrativas, enquanto Pigatto abordará as iniciativas do CNS em torno das práticas.

Instituída desde 2006 no Brasil, a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PNPIC) reconheceu inicialmente cinco modalidades no SUS (acupuntura, termalismo, antroposofia, fitoterapia e homeopatia), número que passou para 29 em 2018. “As PICS têm sido objeto de debate intenso na atualidade,  às vezes marcado por preconceitos, interesses corporativos e de mercado. Defendemos que a discussão em torno delas seja orientada por meio de estudos científicos centrados na efetividade”, afirma Marilene.

Ágora Abrasco promove discussões semanais sobre a pandemia de Covid-19 e seu impacto na sociedade. O painel desta terça pode ser acompanhado no seguinte link: https://www.youtube.com/user/tvabrasco.

Live debate a Política Nacional de PICS e sua importância no SUS

Quando o perfume emana saúde e conforto para enfrentar a pandemia

Nota sobre importância das PICS na pandemia ganha adesões