A Coordenação Nacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde do Ministério da Saúde lançou na semana passada dois novos informes de evidências clínicas em PICS, um relacionado à saúde do trabalhador e o outro à atividade física. As publicações em formato digital, com acesso aberto ao público, deve auxiliar gestores e profissionais do SUS e, ao mesmo tempo, auxiliar na produção de novas pesquisas.

Daniel Amado, coordenador de PICS no MS, argumenta que as sínteses e mapas de evidências que ajudaram na formulação dos informes, apontam para os bons resultados das práticas quando integradas aos programas de saúde do trabalhador, sobretudo dos profissionais de saúde. Estudos científicos abordam impactos positivos da auriculoterapia e da meditação em casos de estresse laboral.

Quanto à atividade física, o documento aborda benefícios da yoga e de práticas da Medicina Tradicional Chinesa, como o Tai chi chuan (TCC) e Qigong, para diferentes faixas etárias. Num dos estudos, demonstra-se que “a flexibilidade dos idosos e a capacidade de controle de equilíbrio foram melhoradas pela prática de TCC, o que pode ser o motivo da prevenção de quedas”.

À yoga são atribuídos resultados positivos inclusive entre crianças e adolescentes, quando integrada à educação física escolar: não só aumentando a massa corporal magra, mas também como “estratégia viável e potencialmente eficaz para melhorar a saúde, tanto em dimensões psicológicas como de função cognitiva”, de acordo com o informe da CNPICS.

Informe_saúde do trabalhador_2021

Informe_de_evidências_em_pics_atividade fisica_2021

Informes técnicos orientam sobre evidências das práticas em apoio ao cuidado em doenças crônicas

Evidências clínicas no uso de PICS para transtornos alimentares e insônia