O ObservaPICS está deixando disponível o relatório analítico sobre a caracterização de grupos de pesquisa em atividade no Brasil que possuem projetos ou pesquisam saberes tradicionais e Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS). O documento, em formato PDF, pode ser acessado na seção Ciência Aberta. Traz os resultados obtidos e a metodologia adotada no levantamento, composto por duas fases.

Ao todo foram identificados 548 grupos no diretório do CNPq com descritores e linhas de pesquisa relacionadas às PICS. Numa segunda etapa, 300 desses grupos responderam ao instrumento de coleta de dados, o que possibilitou confirmar, a partir das informações fornecidas, que 174 tinham linha de pesquisa em práticas integrativas e complementares e 84 desenvolviam projetos de pesquisa sobre o tema envolvendo o Sistema Único de Saúde (SUS).

Banco de dados

No relatório publicado agora pelo ObservaPICS é possível conhecer em detalhes essas informações, como também a distribuição dos grupos por região do país, a que instituições estão vinculados e em que áreas do conhecimento. Das práticas estudadas, as plantas medicinais lideram, sendo a maior parte das pesquisas e projetos vinculados à Ciências Biológicas, com foco em princípios ativos e na fitoterapia. Os bancos de dados do estudo, das fases um e dois, também estão disponível neste site, atendendo à Política de Ciência Aberta da Fiocruz.

Esse levantamento iniciado em 2019 prossegue, com análise da produção científica dos grupos selecionados, o que irá possibilitar aos interessados na academia, na sociedade e nos serviços de saúde, maior conhecimento crítico sobre as diferentes práticas integrativas em estudo no Brasil. Acesse o relatório na íntegra, clicando abaixo:

Download

 

Condições crônicas de saúde são observadas por quem pesquisa sobre PICS

Na UFPR, grupo de pesquisa sobre carboidratos estuda plantas desde 1965

Temas afins das PICS em estudo por 494 grupos