Escolha uma Página

Lançado nesta quinta-feira (2 de junho) o relatório final da pesquisa Cartografia da fitoterapia no SUS: dos itinerários do fazer às alianças do saber, apoiada pelo ObservaPICS/Fiocruz e que traça os modelos organizativos, em diferentes municípios brasileiros, da oferta de plantas medicinais em programas de saúde. Com 77 páginas e em acesso aberto para quem se interessa pelo tema, o documento descreve como o estudo foi construído, apresenta os resultados e analisa os achados no contexto de uma década e meia das Políticas Nacionais de Plantas Medicinais e Fitoterápicos (PNPMF) e de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PNPIC).

“Partimos de um inventário contendo 509 municípios, previamente identificados pelo Departamento de Atenção Básica e pelo Departamento de Assistência Farmacêutica do Ministério da Saúde. A esses, somamos contatos espontâneos e autorreferidos durante a pesquisa. No total, integram a análise 555 municípios. Esse número representa cerca de 10% do total de municípios do Brasil. Desses, foi possível caracterizar com detalhes 456 através de entrevistas estruturadas e semiestruturadas com os responsáveis técnicos. Experiências de territórios em São Paulo, no Maranhão e em Santa Catarina foram visitadas presencialmente”, explica o pesquisador Pedro Cripaldi Carlessi, doutorando do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

Farmacêutico, mestre em Ciências e  investigador visitante no Departamento de Antropologia do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, Carlessi acompanha desde 2018 a rede de serviços relacionada com a oferta de plantas medicinais e medicamentos fitoterápicos no SUS. A Cartografia da fitoterapia, realizada com a colaboração do ObservaPICS, caracteriza os serviços, sua natureza jurídica e descreve os espaços de cultivo, além de abordar a relação das experiências visitadas com a agricultura familiar, a valorização de práticas tradicionais e populares. A pesquisa mostra uma predominância de cultivo de plantas medicinais nos municípios com oferta de fitoterapia.

O relatório está  no Repositório Institucional Arca Dados da Fiocruz, integrando o conjunto de documentos relacionados ao projeto Repare do ObservaPICS. Para acesso direto no Arca, basta acessar o identificador DOI, rolar a lista de documentos depositados ou usar termo de busca “Cartografia”. Mas pode ser lido também aqui no site:

Acessar

Mapeamento da fitoterapia brasileira, coordenado pelo ObservaPICS, é apresentado na Espanha e Portugal

Hortos e jardins medicinais são base da fitoterapia no SUS, debate live do ObservaPICS